Quarta-feira, 27 de Janeiro de 2021

Nota sobre a nomeação do diretor-geral da Polícia Federal

NOTA CONJUNTA – Forças de segurança pública federais foram abandonadas mais uma vez

PEC 412: o egocentrismo corporativista na adversidade política da Segurança Pública sob o impacto da crise sanitária coronavírus COVID-19

Sinpef-ES integra união de forças para auxiliar famílias capixabas

Coronavírus: Sinpef-ES suspende atendimentos presenciais e disponibiliza canais online

A POLÍCIA FEDERAL
SOMOS NÓS!

10/09/2020

“O ADOECIMENTO MENTAL FAZ PARTE DE UMA PROFISSÃO DE RISCO”, ALERTA ESPECIALISTA

Homens e mulheres que atuam nas forças de segurança, muitas vezes, são vistos pelo estereótipo do “herói”. Pessoas fortes, quase invencíveis. Pessoas, muitas vezes, duras, corajosas, inquebráveis. E, muitas vezes, esquece-se que esses homens e mulheres são, sobretudo, pessoas. Seres humanos.

 

Em 2019, um estudo realizado pela Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef) apontou que se a Polícia Federal fosse um país, estaria entre as nações com maior índice de suicídio do mundo. Seria o sétimo país em número de suicídios em relação à sua população total.

 

“É importantíssima essa discussão, esse chamamento no mês de setembro para a prevenção do suicídio. Temos que deixar enfrentar esse tema, superar o tabu, identificando sinais, ofertar ajuda a essas pessoas. O mais importante é mostrar que tem solução, que as pessoas podem procurar ajuda e que ela é necessária para sair desse quadro. A Polícia Federal tem um alto índice de suicídio, por ser uma profissão muito estressante. Estamos promovendo esse assunto sempre e estamos à disposição para ajudar”, afirmou o presidente do Sindicato dos Policiais Federais do Espírito Santo (Sinpef-ES), Marcus Firme.

 

Assistente social da Polícia Federal e mestranda em Segurança Pública, Gegliola Campos da Silva estuda o adoecimento mental e o suicídio entre membros das forças de segurança. Segundo ela, o tema ainda é tratado como tabu e é preciso falar, esclarecer, explicar cada vez mais para que, quando um agente necessita, ele busque ajuda.

 

Na entrevista abaixo, ela destaca que “as instituições de segurança pública precisam admitir que o adoecimento mental faz parte de uma profissão de risco e implementar ações para diminuir os impactos psicossociais do trabalho”.

 

Quais os impactos do adoecimento mental nas forças de segurança?

Gegliola Campos: O adoecimento mental na forças de segurança é uma questão que precisa ser tratada sem estigma e com informação, afinal, os impactos são imensuráveis uma vez que operadores da segurança pública já vivenciam o risco da profissão e precisam estar emocionalmente saudáveis para garantir a segurança pública com excelência e desempenhar seu papel com eficácia.

 

Como o suicídio de um colega afeta a corporação?

Gegliola Campos: Às vezes o suicídio de um colega gera mais impacto do que a morte por conta do trabalho policial, e, em algumas pessoas, pode ser gatilho para o sofrimento mental ou até causar o efeito contágio, chamado pela literatura especializada de “Efeito Werther”, por isso, além das ações de prevenção são também fundamentais as ações de “pósvenção” ao suicídio, que é o cuidado com as pessoas enlutadas ou impactadas.

 

O índice de suicídio entre agentes é mais alto do que na população em geral? Por quê?

Gegliola Campos: Apesar das estatísticas alarmantes sobre a alta incidência de suicídio entre policiais, que são apontados pela literatura como um grupo de alto índice de suicídio, pela natureza do trabalho, pelo acesso a meios letais, pelo contato cotidiano com várias formas de violência, não se sabe até que ponto é possível afirmar que policiais se matam mais do que outras categorias profissionais.

 

Os dados são precários, a subnotificação é grande, e, essa questão é ainda uma incógnita para os especialistas no tema, e que no Brasil é objeto de pesquisa e monitoramento da Dra. Dayse Miranda, a referência acadêmica na discussão sobre o porquê policiais se matam, segundo a pesquisadora, os estudos epidemiológicos sustentam que a taxa de suicídio entre policiais é superior à média da população, mas as possíveis determinações dessa questão ainda precisam ser aprofundadas.

 

Que ações podem ser implementadas para reduzir o risco de suicídio em agentes de polícia?

As instituições de segurança pública precisam admitir que o adoecimento mental faz parte de uma profissão de risco e implementar ações para diminuir os impactos psicossociais do trabalho, mesmo sabendo que o suicídio é multicausal, é possível diminuir possíveis “gatilhos” para tal fenômeno.

 

Neste sentido, algumas ações podem ser implementadas no contexto da segurança pública tais como: promover desde os cursos de formação a consciência para o autocuidado em saúde mental; incluir a atenção psicossocial institucionalizada na rotina de trabalho; fortalecer a rede de apoio e de preocupação mútua no espaço de trabalho; capacitar gestores em temáticas sobre liderança positiva e processo decisório humanizado; capacitação continuada em temas relacionados a saúde mental; programas de promoção a qualidade de vida no trabalho; combater toda a forma de assédio e de abuso, etc.


Fonte: Sindicato dos Policiais Federais do Espírito Santo (Sinpef-ES)


    NOTÍCIAS

    Vinte e quatro agentes da PF fizeram escolta da vacina no ES

    Com a atribuição de escoltar a chegada das mais de 100 mil doses da vacina Coronavac no Espírito Santo, 24  agentes da Polícia Federal trabalharam nessa missão na tarde desta segunda-feira (18). Esse procedimento é o mesmo feito em todo o Brasil.    As doses que chegaram ao Espírito Santo vieram de avião de São Paulo, e chegaram por volta de 18:20, no aeroporto de Vitória. Além da PF, a Polí...

    Segurança pública e covid-19: dois livros abordam o tema a partir de pesquisas acadêmicas

    Sistemas de saúde em colapso, as estruturas econômicas em vias de quebrar e o aumento da criminalidade foram constantes nas páginas e telas de jornais pelo País no contexto da pandemia de covid-19.   Nesse contexto, o especialista em Ciência Policial e Investigação Criminal, mestre em Direito Processual Penal e advogado criminalista Roberto Darós coordenou duas pesquisas acadêmicas em conjunto com uma equipe de 13 especialistas s...

    Projeto de lei cria tipo penal Domínio de Cidades em crimes graves contra o patrimônio

    Grupos criminosos fortemente armados tomam de assalto uma cidade e cometem diversas atrocidades. Nos últimos dias, vimos cenas que quase lembram filmes de ação se desenrolando pelas ruas de Criciúma (SC), em ações bem planejadas de assalto a bancos.   Em um contraponto fundamental a essas violentas ações criminosas, na tarde desta quinta-feira (3), o deputado Sanderson (PSL-RS) protocolou o Projeto de Lei 5365/2020 (PL Domínio...

    Sete armas de fogo e 569 munições de diversos calibres são apreendidos em operação

    Oito agentes federais, com o apoio de três militares do Exército, cumpriram mandado de busca e apreensão em Cariacica no âmbito da Operação Bengala. Na ação, foram aprendidas sete armas de fogo e 569 munições de diversos calibres.   O investigado foi preso em flagrante e conduzido à Polícia Federal, mas, como se trata de infração penal afiançável, foi arbitrada fiança. O in...

    Do novo cangaço ao domínio das cidades, o livro que retrata a violência em crimes contra o patrim

    Profissionais que também estão na linha de frente do combate à criminalidade no País, policiais federais e policiais militares, além de um membro do Ministério Público, reuniram-se para trazer aos leitores a obra “Alpha Bravo Brasil: Crimes Violentos Contra o Patrimônio”. O livro, produzido pelos 10 autores, reúne pesquisas acadêmicas realizadas por profissionais especializados em Segurança Pública e of...

    Preso em flagrante investigado por compartilhar pornografia infantil

    Cinco agentes federais que atuam no Espírito Santo prenderam um homem em flagrante, na manhã desta quarta (14), pelo crime de compartilhamento de arquivos contendo pornografia infanto-juvenil. A prisão ocorreu durante um cumprimento de mandado de busca e apreensão na casa do investigado, em Vitória.   A prisão do investigado faz parte da Operação Interrupção, que tem o objetivo de combater difusão de arquivos con...

    Justiça reconhece acidente de trabalho de agente sindicalizado

    O Sindicato dos Policiais Federais do Espírito Santo (SINPEF-ES) obteve sentença favorável no 2º Juizado Especial de Vitória na defesa de sindicalizado que sofreu acidente trabalho, outrora não reconhecido administrativamente pela DGP/PF.   Na instrução do processo administrativo foram ouvidos servidores que testemunharam a lesão sofrida pelo sindicalizado durante o treinamento. Apesar das fortes dores do acidente de trabalho, e...

    Investigação contra desvios milionários no SUS deflagra mandados de busca e apreensão no ES

    Agentes federais cumprem oito mandados de busca e apreensão em cinco municípios capixabas no âmbito da “Operação Sem Misericórdia”, que investiga o desvio de mais de R$ 2 milhões de recursos do SUS destinados à Santa Casa de Santana do Livramento, no Rio Grande do Sul.   Os mandados estão sendo cumpridos em Vitória (um), Vila Velha (quatro), Afonso Cláudio (um), Venda Nova do Imigrante (um) e Sã...

    Copas inicia trabalho de atenção à saúde dos profissionais da Segurança Pública no Estado

    O início dos trabalhos efetivos da Comissão Permanente de Atenção à Saúde dos Profissionais de Segurança Pública, Defesa Social e Justiça no Espirito Santo (Copas) ocorreu nesta quarta-feira, 9 de setembro, véspera da data em que marca o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio (10 de setembro).   A Copas foi instituída após portaria publicada em dezembro de 2019, pela Secretaria da Segura...

    Policiais aposentados estão autorizados a manter armas da ativa

    O diretor-geral da Polícia Federal, Rolando Alexandre de Souza, editou portaria autorizando que policiais federais mantenham as armas que utilizavam na ativa ao se aposentarem. Segundo a Federação Nacional dos Policiais Federais, a regra autoriza ainda que policiais já aposentados também poderão receber uma arma, se quiserem. A portaria entrará em vigor no dia 1º de outubro.   A Fenapef informou que a edição da portaria s...

    Clique aqui para exibir mais notícias