Terça-feira, 17 de Setembro de 2019

Fenapef, entidades sindicais e Polícia Federal se unem para discutir saúde emocional na PF

Casos de depressão entre policiais devem ser tratados sem estigma

Agentes, escrivães, papiloscopista e peritos da Polícia Federal Contra a PEC 412

Claudilene e Lucimei: décadas de dedicação ao Sinpef-ES

POLICIAIS FEDERAIS DESENVOLVEM PROJETO DE FUTEBOL QUE AJUDA A MUDAR A VIDA DE JOVENS DE PERIFERIA

A POLÍCIA FEDERAL
SOMOS NÓS!

18/06/2019

PREVIDêNCIA AMEAÇA APOIO DAS POLÍCIAS CIVIL E FEDERAL A BOLSONARO

Forte reduto do bolsonarismo, parte da polícia passou a olhar com desconfiança seu apoio ao presidente Jair Bolsonaro (PSL). Pelo menos na Polícia Federal e na Civil e nas guardas municipais, o entendimento é que as propostas do governo da reforma da Previdência colocariam em risco a aposentadoria e as pensões de agentes de segurança, a ponto de estudarem abandonar seu alinhamento ao Palácio do Planalto, o que rendeu muitos votos nas eleições de 2018.

 

Nas últimas duas semanas, o mal-estar aumentou. No início do mês, quatro notas de entidades de classe acusaram o Palácio do Planalto de descumprir acordos para garantir às categorias os mesmos benefícios preservados para as Forças Armadas.

 

Embora menos numerosas que a Polícia Militar (PM), as categorias têm poder. Tocam os principais casos de corrupção no país, nos âmbitos federal ou estadual, e ainda policiam ruas de muitas cidades. As entidades estudam fazer operações "tartaruga" nos próximos dias, atrapalhando serviços essenciais à população, como atendimento em delegacias e policiamento de ruas.

 

Em outra ponta, a ideia é aumentar a quantidade de trabalho focando em investigações contra a corrupção.

Entidades cobram quebra de acordo

 

"O apoio concedido pela maioria dos operadores de segurança pública na eleição não será transformado num cheque em branco em prejuízo próprio", diz trecho da nota publicada pela Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef). O texto foi divulgado na semana passada junto com outras críticas semelhantes de mais três entidades de classe que narram suposta quebra de promessa: policiais civis (Cobrapol), policiais rodoviários federais (Fenaprf) e peritos da PF (APCF).

 

Eles dizem que haveria um acordo firmado com Jair Bolsonaro em 20 de maio para dar a eles os mesmos benefícios estendidos às Forças Armadas e aos policiais militares na reforma.

 

Consultada pela reportagem, a assessoria do presidente negou a existência dos acordos mencionados pelas entidades de policiais. A líder do governo no Congresso, deputada Joice Hasselman (PSL-SP), também disse que não há acordo.

"A um passo de perder todo o apoio"

Depois das queixas em público feitas pelos sindicatos, críticas ao presidente foram parar em grupos de WhatsApp de policiais, muitos deles eleitores do presidente, na semana passada. Em redes sociais abertas, também era possível ver charge de um caixão de policial guiado por Bolsonaro.

 

"Posso te garantir: o governo Bolsonaro está a um passo de perder todo o apoio da segurança pública do País, pois a aposentadoria policial é o único atrativo das carreiras dos operadores da segurança pública", afirmou ao UOL o presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais, Luís Antônio Boudens.

 

Na última quinta, a comissão especial da reforma da Previdência na Câmara recebeu o relatório do deputado Samuel Moreira (MDB-MG), relator da reforma. Era lá a arena que os policiais esperavam resolver os problemas enfrentados na equiparação com os militares (veja abaixo). "Ficou pior", resume o presidente da APCF, o perito Marcos Camargo. "Piorou para todas as polícias", completa André Gutierrez, diretor de mobilização da UPB (União dos Policiais do Brasil) e presidente da Cobrapol. A medida ainda atinge os 120 mil guardas municipais.

 

Gutierrez também afirmou ao UOL que as categorias policiais podem abandonar o governo.

"Se for para romper com o Bolsonaro, vamos romper, porque ele rompeu com a gente". André Gutierrez, diretor da União dos Policiais do Brasil.

 

Ele conta que há assembleias previstas para hoje (18) para definir se entram em uma espécie de greve, fazem operações tartaruga, manifestação ou "invasão em Brasília". "Temos outros meios de fazer a polícia paralisar sem ser greve."

 

"O sentimento é da mais profunda decepção, até porque a posição dele enquanto era deputado era completamente diferente da proposta enviada como presidente". Clóveis Pereira, presidente da Federação Nacional dos Guardas Municipais (Fenaguardas).

O que eles querem?

Policiais federais e civis pedem os mesmos benefícios que militares terão na proposta de reforma da Previdência. Abaixo, exemplos do que está diferente e eles querem mudar:

Pensão para viúvas
- Para Forças Armadas e policiais militares: se o cônjuge morrer, viúvas terão pensão integral e vitalícia
- Para policiais federais e civis: benefício só valeria para mortes "em serviço", e não "em decorrência do serviço"
- Para guardas municipais: não terão direito ao regime de PMs e Forças Armadas

Salário integral na aposentadoria
- Forças Armadas e policiais militares: terão aposentadoria com o último salário recebido integral
- Policiais federais e civis: precisarão trabalhar mais para terem direito ao mesmo benefício. Para sindicatos, texto não dá segurança
- Guardas municipais: não terão direito a esse benefício

Paridade salarial
- Forças Armadas e policiais militares: aumentos de salário aos funcionários na ativa serão concedidos também aos aposentados
- Policiais federais e civis: não terão esse benefício
- Guardas municipais: não terão direito a esse benefício

Regra de transição
- Forças Armadas e policiais militares: terão regra de transição para amenizar prejuízos com a reforma da Previdência
- Policiais federais e civis: não terão esse benefício
- Guardas municipais: não terão direito a esse benefício
Fonte: UPB, Fenapef, Cobrapol, APCF e Fenaguardas


Fonte: Site UOL / Republicado no site Fenapef


    NOTÍCIAS

    Alerta para o risco de doenças mentais e suicídio de policiais

    A rotina de enfrentamento do crime dos policiais é arriscada, mas não tem sido o principal desafio desses profissionais. Segundo o Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2019, um total de 104 policiais (entre civis e militares) cometeu suicídio em 2018. Um número que ultrapassa o total de policiais assassinados em horário de trabalho.   “A taxa de suicídio entre policiais é três vezes maior que da popula&cc...

    Sindicatos e PF discutem saúde emocional na corporação

    A Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef) – em parceria com o Sindicato dos Policiais Federais no Distrito Federal (Sindipol-DF), a Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais (APCF), a Superintendência da Polícia Federal no Distrito Federal e a Diretoria de Gestão de Pessoal (DGP) da PF – realizaram nesta quinta-feira (12), em Brasília, a palestra “Felicidade e Produtividade no Ambiente de Trabalho&rdquo...

    Assistente social da PF em evento de prevenção ao suicídio

    A assistente social Gegliola Campos da Silva, que atua na Polícia Federal, compôs mesa de discussão sobre a "manifestação suicida em profissionais da segurança pública, saúde e educação", na Ufes, na última terça-feira (10). Estavam presentes renomados profissionais da psicologia e da psiquiatria, bem como outras áreas da saúde. O evento teve como público-alvo acadêmicos, pesquisadores,...

    Novo convênio Sesc/ES e Sinpef beneficia filiados

    Os filiados ao Sinpef-ES agora têm mais benefícios. Acaba de ser assinado um convênio com o Sesc/ES proporcionando uma série de vantagens para os sindicalizados e seus familiares.   Para obter os benefícios do convênio, o sindicalizado deverá fazer a carteirinha do Sesc-ES. Saiba como e onde fazer entrando em contato com Sinpef-ES.   “Estamos muito orgulhos com esse novo convênio. Trabalhamos para que os nossos filiados tenh...

    Depressão entre policiais deve ser tratada sem estigma

    O Setembro Amarelo é dedicado à prevenção do suicídio, momento muito oportuno para lembrarmos que doenças mentais não tratadas podem levar as pessoas a desistirem da própria vida. Apesar de ser um fenômeno multicausal, é importante destacar que algumas profissões, no contexto em que são impostas, tornam o indivíduo mais exposto aos riscos de depressão, outros transtornos mentais e at&ea...

    Gazeta Online: policial federal e observador de VAR Marcos André

    Ex-árbitro capixaba avalia como positivo a introdução da ferramenta e importante no trabalho de auxiliar o árbitro de campo nas deciões   Em outubro de 2017, o então árbitro de futebol Marcos André Gomes da Penha pendurou o apito após vinte anos de dedicação à arbitragem de campo, mas a ligação dele com o futebol não parou por ali. Na verdade ela se modernizou e caminhou paralela &agra...

    Prorrogadas inscrições para Prêmio de Jornalismo

    Foi prorrogado para 10 de setembro o prazo para inscrição ao 3º Prêmio Policiais Federais de Jornalismo. Criado pela Federação nacional dos Policiais Federais e o Sindicato dos Policiais Federais no Distrito Federal, o Prêmio Policiais Federais premia e dá visibilidade à atuação dos jornalistas que cobrem segurança pública.   Podem concorrer trabalhos jornalísticos, únicos ou em sér...

    Fenapef reforça equiparação de aposentadorias junto a senador

    O vice-presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Luiz Carlos Cavalcante; o diretor parlamentar da entidade, Marcus Firme; e a policial federal Susanna Moore foram recebidos nesta terça-feira (27) pelo senador Marcos do Val (Podemos-ES). O parlamentar é membro titular da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, onde tramita a Proposta de Emenda à Constituição da Reforma da Previdê...

    Fenapef e Sinpef-ES se posicionam contra a PEC 412

    Agentes, escrivães, papiloscopistas e peritos da Polícia Federal estão em estado de alerta. A preocupação, manifestada por suas entidades representativas, é a Proposta de Emenda Constitucional 412, a chamada PEC da Autonomia da Polícia Federal, que voltou a ser debatida em Brasília. Para eles, o argumento de que a norma iria fortalecer a instituição é uma falácia. Eles ainda a consideram um retrocesso que pode le...

    Fenapef quer correção de distorções e injustiças a policiais

    Ofício protocolado no gabinete de Tasso Jereissati, na última sexta-feira, comprova que “regra de transição” criada na Câmara dos Deputados vai beneficiar uma quantidade ínfima de policiais.   Na tarde da última sexta-feira (16), a Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), que integra a União dos Policiais do Brasil (UPB), protocolou ofício no gabinete do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), ...

    Clique aqui para exibir mais notícias