Segunda-feira, 09 de Dezembro de 2019

Projeto social liderado por policial federal completa dois anos fazendo a diferença na vida de meninos capixabas

ARTIGO MARCUS FIRME - Policiais Federais: trabalho de defesa da sociedade e seus desafios

Artigo: Uma polícia para o Século XXI - a Carreira Única e o Ciclo Completo da Ação Policial (Por Roberto Darós)

Claudilene e Lucimei: décadas de dedicação ao Sinpef-ES

A POLÍCIA FEDERAL
SOMOS NÓS!

24/08/2018

POLICIAL DO ES CRIA MÉTODO QUE AJUDA A ESCLARECER CRIMES COM ARMAS DE FOGO

Mesmo depois de o tiro disparado, cápsula pode ter pistas reveladoras como impressões digitais, mostra policial federal que também é físico.

 

Um policial federal do Espírito Santo desenvolveu um método que pode ajudar a esclarecer crimes com armas de fogo.

 

Na hora do tiro, o projétil é disparado pelo cano da pistola. Mas uma parte da munição não vai muito longe. É possível ver câmera lenta: após o disparo, a cápsula, que é a parte que envolve o cartucho, é lançada para trás do cano e cai perto da arma.

 

Na investigação de um crime, os peritos da polícia recolhem as cápsulas e levam para exames de balísticas na tentativa de identificar de qual arma partiu o disparo. Mas há mais de cinco anos, um policial federal do Espírito Santo, que também é formado em física, trabalha para mostrar que mesmo depois de um tiro disparado, essas cápsulas podem trazer pistas bem mais reveladoras: impressões digitais.

 

Na hora do tiro, há um atrito da munição com o cano da arma e também um deslocamento de ar quente. Por isso, fica difícil revelar impressões digitais. Difícil, mas não impossível, diz o policial.

 

“Com práticas simples e relativamente baratas, que podem ser aplicadas em qualquer laboratório forense de qualquer polícia do nosso país, a gente consegue sim chegar a resultados”, afirma o policial federal papiloscopista Carlos Magno Girelle.

 

O método que ele desenvolveu segue esta sequência: primeiro, a cápsula vai para um aquecedor elétrico, onde fica exposta ao vapor da substância cianoacrilato, que é usada para fazer cola instantânea. O vapor em contato com o metal já começa a revelar a impressão. Depois, a cápsula é mergulhada em um reagente químico. Na próxima etapa, um spray joga um corante fluorescente. No contraste com a luz dá para ver melhor a impressão digital.

 

Todo esse o processo dura menos de duas horas. A impressão está revelada, mas o formato cilíndrico da cápsula gera reflexos que atrapalham a visualização.

 

Um equipamento, feito no laboratório da Polícia Federal, resolve isso. A medida que a cápsula é girada em uma engrenagem, ela é fotografada. Depois, as fotos são unidas e está formada uma imagem panorâmica da impressão digital.

 

O método foi utilizado durante um ano no Espírito Santo. Em mais de mil análises, apenas cinco revelaram a impressão. O problema, segundo o policial, é a forma como as cápsulas foram recolhidas nos locais dos crimes.

 

“Eu tenho certeza que se ao invés de coletar essas evidências e jogar dentro de uma sacola e balançar, que é o que acontece hoje, e a gente fizer de uma forma apropriada como a gente propõe na pesquisa, essa estatística tende sim a melhorar”, diz Girelle.

 

Ele acha que deveriam ser usadas pinças e as cápsulas deveriam ficar em embalagens, que também foram inventadas lá. Com esses cuidados desde o começo da investigação, é bem maior a chance de que na munição disparada seja encontrada a identificação do criminoso.


Fonte: G1 Jornal Nacional


    NOTÍCIAS

    Presidente da Fenapef fala sobre crimes cibernéticos na UVV

    O presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Luís Antônio Boudens, fala nesta terça-feira (10) na Universidade de Vila Velha (ES) sobre a atuação do policial federal em crimes cibernéticos. O professor Roberto Darós, agente de polícia federal e especialista em segurança pública, será o mediador do debate.   Palestrantes e plateia vão discutir a “Sociedade Cibern&e...

    Estudantes se reúnem, ganham prêmios e debatem corrupção

    Estudantes do Ensino Médio de cinco escolas da Rede Pública de Ensino do Estado lotaram o auditório do Tribunal de Contas do Espírito Santo (TCE-ES) para participarem do III Encontro do Dia Internacional Contra a Corrupção na manhã desta sexta-feira (6). Eles também conheceram os vencedores do concurso de redação promovido pelo Focates (Fórum das Carreiras Típicas de Estado) e o Focco (Fórum Permanente de ...

    Agente fala sobre horário especial de servidor estudante

    Ao encaminhar seu Trabalho de Conclusão de Curso no departamento de Direito da Ufes ao Sinpef-ES, o policial federal Ricardo Abidala Keide escreveu uma carta em que relata à entidade representativa sobre sua experiência e os desafios dos agentes federais que são estudantes. O tema de seu TCC foi “Horário Especial de Servidor Estudante: Uma Abordagem a Partir Da Lei 8112/90 e da Constituição Federal”. Confira.   PÓS-ESCRITO...

    Policial federal na identificação de vítimas em Brumadinho

    “Ter contato com pessoas que de maneira abrupta e coletiva simplesmente desapareceram do convívio de seus amigos e familiares é algo transformador. Você percebe o quanto circunstâncias que você realmente não controla podem incidir sobre sua existência. Na verdade, tudo é tênue”.   Esse foi o sentimento que a tragédia de Brumadinho/MG deixou para o Papiloscopista Policial Federal Gabriel de Oliveira Urtiaga, que f...

    Atenção filiado: responda à enquete sobre futuras ações

    A Fenapef está realizando uma enquete entre os filiados para balizar futuras ações da entidade. O objetivo é saber se há concordância com as quatro pautas que foram selecionadas na última Assembleia Geral Extraordinária (AGE), realizada em Brasília, nos dias 19, 20 e 21 de novembro. Foram elas a Lei Orgânica da PF (projeto OPF), a modernização das investigações com protagonismo para o trabalho dos inv...

    Projeto social liderado por policial federal completa 2 anos

    O Capixaba Instituto Social, projeto presidido pelo policial federal e diretor de Comunicação do Sinpef-ES, Fabricio Sabaini, acaba de completar dois anos e vem fazendo a diferença para meninos de 13 a 19 anos, aliando futebol, disciplina e encaminhamento ao emprego. Mais de 100 jovens e adolescentes já foram atendidos.   A comemoração do aniversário do projeto foi na manhã deste sábado (23), no Tancredão, Vitóri...

    Policiais Federais: trabalho de defesa da sociedade

    ARTIGO: Marcus Firme, presidente do Sindicato dos Policiais Federais do Espírito Santo (Sinpef-ES) e diretor parlamentar da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), publicado no site Dia a Dia ES    Neste sábado (dia 16 de novembro) é o Dia do Policial Federal. Para nós, é uma oportunidade de parabenizarmos os valorosos homens e mulheres que se dedicam todos os dias a questões fundamentais para a segurança do ...

    Quando os números escondem a ineficiência do corporativismo

    Artigo Luís Antônio Boudens, presidente da Fenapef   Embora a matemática seja uma ciência exata, números analisados fora de contexto se prestam a interpretações que nem sempre são o reflexo da verdade. Podem distorcer fatos, torcer realidades, levar a um ponto de chegada que não conta a verdadeira história e não reflete o caminho percorrido.   No início de 2019, pesquisa encomendada pelo Departam...

    Artigo A Gazeta: Também morre quem atira

    O Estado não pratica uma política pública eficaz para que o combate seja evitado    Autores: Henrique Geaquinto Herkenhoff (professor do mestrado em Segurança Pública da UVV) e Fabrício Sabaini (agente de Polícia Federal e mestrando em Segurança Pública)   Há semanas o noticiário foi tomado por mais uma tragédia de nosso cotidiano: a morte da menina Ághata enquanto voltava para casa com ...

    Confraternização reúne policiais federais do Estado

    Em homenagens aos policiais federais capixabas, comemoramos nesta quinta-feira (31), num churrasco descontraído, o Dia do Servidor Público (celebrado 28/10) e o Dia do Policial Federal (16/11). Foi um momento de muito bate-papo, música, risadas e confraternização entre grandes amigos e colegas de trabalho.   "É sempre bom valorizarmos esse clima de união e alegria. Pois, além dos nossos direitos e bandeiras coletivas, prezamos pelo i...

    Clique aqui para exibir mais notícias