Sabado, 06 de Junho de 2020

Nota sobre a nomeação do diretor-geral da Polícia Federal

NOTA CONJUNTA – Forças de segurança pública federais foram abandonadas mais uma vez

PEC 412: o egocentrismo corporativista na adversidade política da Segurança Pública sob o impacto da crise sanitária coronavírus COVID-19

Sinpef-ES integra união de forças para auxiliar famílias capixabas

Coronavírus: Sinpef-ES suspende atendimentos presenciais e disponibiliza canais online

A POLÍCIA FEDERAL
SOMOS NÓS!

30/06/2017

UM NOVO MODELO DE POLÍCIA PARA O BRASIL

Pense na estranheza que lhe causaria descobrir que o chefe de uma equipe cirúrgica tem muito menos experiência e especialização do que todos os seus demais subordinados.

 

Ou se o projeto final de uma hidrelétrica fosse liderado e assinado por um engenheiro que acabou de sair da faculdade.

 

Algo assim acontece na segurança pública brasileira por conta de um modelo muito peculiar e ultrapassado de ingresso nas polícias civis e federal.

 

Se na maioria dos países do mundo o agente começa em posições de subordinação e sobe na carreira, conforme seu mérito e formação, por aqui o profissional recém-formado em direito é alçado imediatamente a chefe de polícia e investigação.

 

E quais são as consequências?

 

A Operação Carne Fraca -cuja deflagração e, principalmente, divulgação midiática apresentaram claros sinais de amadorismo- talvez ofereça algumas respostas.

 

A ação desastrosa e a comunicação sensacionalista demonstradas no caso ameaçaram a posição do Brasil como exportador, atingiu nossa economia e gerou constrangimento à própria Polícia Federal.

 

Na questão do papelão na carne, por exemplo, bastava que se ouvisse o diálogo gravado com o mínimo espírito crítico para perceber que os interlocutores falavam sobre embalagens.

 

Agentes federais da área técnica, calejados pelo tempo de serviço, poderiam ter sido uma importante voz de cautela. Mas, apesar de trabalharem nas investigações, eles praticamente não participam da coordenação e da comunicação das grandes operações.

 

Vale lembrar: o sistema de carreiras da polícia portuguesa, que originou o brasileiro, foi abolido na década de 1940, para dar lugar ao de ingresso único. O policial galga posições à medida que ganha experiência, como em qualquer empresa.

 

A situação atual no Brasil remonta aos tempos do Império. Diante do grande analfabetismo da época, eram recrutados cidadãos letrados para ocupar, por delegação, o posto de chefe de polícia -função originalmente exercida pelos juízes.

 

A única -e positiva- exceção no país é a Polícia Rodoviária Federal, com ingresso apenas por concurso público, na qual a promoção na carreira é feita por seleções internas. Esse modelo tem gerado avanços inegáveis.


A Polícia Federal precisa ser cada vez mais multidisciplinar, com especialistas em temas como finanças, meio ambiente, informática e entorpecentes. Profissionais com formação em direito são importantes, pelo conhecimento das normas, mas não devem ter necessariamente o protagonismo.

 

Se isso não mudar, viveremos sob o risco de perder tempo e recursos, impedindo a punição de empresas e pessoas envolvidas em atos ilícitos.

 

No âmbito da Polícia Civil, menos de 10% dos homicídios são esclarecidos. Dados recentes mostram que, em São Paulo, as unidades do Poupatempo são mais eficientes para capturar foragidos do que a maior parte das delegacias -o sujeito vai fazer um documento e acaba pego.

 

É preciso repensar e modernizar a estrutura de nossas polícias. A ineficiência do atual modelo pode causar danos enormes ao processo de reconstrução ética e ao combate à corrupção.

 

FELIPE SANTA CRUZ, mestre em direito e sociologia pela Universidade Federal Fluminense, é presidente da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) do Rio

 

LUÍS ANTÔNIO BOUDENS, especialista em segurança pública, é presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais

 

Artigo publicado originalmente na Folha de S. Paulo


Fonte: Agência Fenapef


    NOTÍCIAS

    Traficante e homicida de Minas Gerais é preso na Serra

    Agentes federais prenderam nesta quinta-feira, dia 04, na região de Balneário Carapebus, Serra, um homem acusado de chefiar associação para o tráfico de drogas na região de Governador Valadares, Minas Gerais. Ele estava foragido da Justiça há mais de 5 anos.   No momento da abordagem, o preso se identificou com documentos falsos, o que resultou também em sua prisão em flagrante pelo crime de falsidade ideológica....

    Operação Caixa de Música apreende drogas em Vitória

    Seis agentes federais atuaram na manhã desta quarta-feira, dia 03, para reprimir uma remessa de drogas que chegou pelos Correios, em Vitória.   A Operação Caixa de Música realizou o cumprimento de um mandado de busca e apreensão no endereço do investigado, na capital, onde foi encontrada uma encomenda postal contendo uma caixa de som automotiva, com endereço de Foz do Iguaçu, no Paraná, contendo em seu interior aproxima...

    Operação Chicago: agentes federais em parceria com o Exército

    Agentes federais que atuam no Estado apreenderam, durante a Operação Chicago, uma pistola calibre .380, um revólver calibre .357 e outro revólver calibre .38, e mais de cinco mil munições de diversos calibres (.22, .38, .380, .40 e 12) durante um torneio de tiro em clube e estande de tiro não autorizado pelo Exército.   A operação foi realizada neste domingo (31), pela Delegacia de Combate a Crimes Contra o Patrimô...

    Artigo Roberto Darós em A Gazeta: Risco dobrado

    Com a pandemia, policiais arriscam suas vidas duplamente na sociedade Artigo jornal A Gazeta, autor Roberto Darós, advogado criminalista   Os segmentos sociais que compõem a sociedade brasileira precisam urgentemente se unir por meio de um novo pacto reformista na reestruturação da segurança pública e valorização dos policiais de todas as corporações, a fim de exigir a prestação de um serviço p&uac...

    Sobre a nomeação do diretor-geral da Polícia Federal

    Sobre a nomeação do novo diretor-geral da Polícia Federal, a Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef) reafirma seu compromisso de manter a vigilância em relação à autonomia das operações e dos trabalhos investigativos da Polícia Federal.   Com relação a Rolando Souza, entende que é um nome técnico e preparado para assumir a missão em um momento de muitos desafio...

    Forças de segurança pública federais abandonadas

    NOTA CONJUNTA As entidades representativas de Policiais Federais e Policiais Rodoviários Federais tornam público o desrespeito e a falta de ética que vem sendo a marca do tratamento oferecido aos servidores federais de segurança pública pelo governo federal.   Em meio à maior crise de saúde vivenciada pela humanidade nas últimas décadas, a população brasileira se vê mergulhada na luta pela vida contra a pa...

    Policiais federais salvam tartaruga de rede ilegal de pesca

    Uma tartaruga foi salva por policiais federais na tarde desta quarta-feira (29). Agentes do Núcleo de Polícia Marítima (Nepom) estavam em uma operação de rotina com a Secretaria Municipal do Meio Ambiente de Vitória quando encontraram o animal marinho preso em uma rede ilegal de pesca, próximo a Ilha das Caieras, em Vitória   Assista ao vídeo do momento do salvamento do animal no link: https://tribunaonline.com.br/video-p...

    Nota sobre suspensão da nomeação de Alexandre Ramalho

    Sobre a suspensão da nomeação do diretor-geral da Polícia Federal, Alexandre Ramagem, pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes, a Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef) declara que segue firme em seu posicionamento de acreditar que Alexandre Ramagem é um bom quadro da PF e que aguardará a reversão dessa decisão pelo Pleno do STF, permanecendo em defesa da independência e autonomia invest...

    PEC 412: o egocentrismo corporativista na adversidade política

    Artigo Roberto Antônio Darós Malaquias*   A Proposta de Emenda à Constituição 412, de 30 de setembro de 2009, tem como autor o Deputado Federal Alexandre Silveira (PPS/MG) e outros signatários, que pleiteiam a alteração do § 1º do artigo 144 da CF 1988. O documento dispõe sobre a organização da Polícia Federal e pleiteia que essa estruturação ocorra por intermédio de lei compl...

    Nota Fenapef sobre os novos ministro da Justiça e diretor da PF

    A Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef) recebe com tranquilidade a designação do Advogado Geral da União, André Mendonça, para o Ministério da Justiça, e de Alexandre Ramagem para o comando da Polícia Federal. O nome de Ramagem estava entre os mais cotados para o cargo. Ele integrou a escolta pessoal do presidente Bolsonaro durante a campanha eleitoral de 2018. Consideramos que Alexandre Ramagem é um poli...

    Clique aqui para exibir mais notícias