Terça-feira, 16 de Outubro de 2018

UM NOVO MODELO DE POLÍCIA PARA O BRASIL


A POLÍCIA FEDERAL
SOMOS NÓS!

06/04/2017

ENTIDADES QUE REPRESENTAM POLICIAIS NO ES CRITICAM DECISÃO DO STF

Para presidentes de sindicatos e associações de classe, determinação do supremo dificulta ainda mais a luta das categorias em conseguir melhores condições de trabalho.

 

Rodrigo Araújo

Redação Folha Vitória

 

A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de proibir que policiais de todo o país realizem greve não foi bem recebida por sindicatos e associações que representam a classe policial no Espírito Santo. Presidentes dessas entidades consideram que a decisão dificulta ainda mais a luta das categorias em conseguir melhores condições de trabalho.

 

O presidente da Associação dos Investigadores da Polícia Civil (Assinpol), Antônio Fialho Garcia Júnior, classificou como "absurda" a decisão do Supremo. Segundo ele, a greve é uma importante ferramenta dos trabalhadores para fazer valer seus direitos.

 

"Se não podemos protestar, como vamos reivindicar nossos direitos? Sem greve ficamos reféns do Estado, que vai poder decidir quando e como vai querer fazer nossa reposição salarial. Nós já estamos há três anos sem reposição. Se o Estado reconhece que somos tão importantes, porque não garante um padrão para reposição salarial?", questiona.

 

De acordo com Fialho, entidades de todo o Brasil que representam os policiais civis - uma das categorias diretamente afetadas com a decisão desta terça-feira - farão o que for possível para tentar reverter essa decisão. 

"Aprendi que ordem absurda não se cumpre. Vamos fazer de tudo para tentar reverter essa decisão. Vamos, através das entidades nacionais que representam os policiais civis, denunciar o Brasil, já que muitos dos nossos direitos também não são respeitados. Todos os trabalhadores têm direito de reivindicar, isso está previsto na Constituição. Mas os ministros do STF se posicionaram acima da Constituição para atender a algum tipo de interesse", protestou.

 

Já o presidente do Sindicato dos Policiais Federais do Espírito Santo (Sinpef-ES), Marcus Firme dos Reis, reconhece ser inviável qualquer tentativa de reverter a decisão do STF e diz que a categoria vai buscar outras formas de buscar os seus direitos.

 

"Acho lamentável esse entendimento do STF. Ninguém gosta de fazer greve e acho que ela deve ser o último recurso a ser utilizado pelo trabalhador, mas é uma ferramente importante para buscarmos nossos direitos. Mas, por outro lado, não é a única forma de reivindicação, portanto vamos buscar outras alternativas", garantiu.

 

Apesar de reconhecer a decisão do STF, os policiais federais do Espírito Santo e de todo Brasil se reuniram nesta quarta-feira e decidiram, de forma unânime, pelo estado de greve até a apresentação do relatório da comissão especial, que analisa o texto da PEC 287 seja apresentado. A decisão foi tomada durante assembleias realizadas em frente às superintendências da Polícia Federal em todo o país.

 

Polícia Militar

 

O presidente da Associação dos Oficiais Militares do Espírito Santo (Assomes), major Rogério Fernandes Lima, ressaltou que a decisão desta quarta-feira não afeta os policiais militares, já que a categoria já era proibida de se sindicalizar e realizar greves. 

 

No entanto, ele vê com bons olhos a determinação do mesmo STF de tornar obrigatória a participação do poder público em mediação instaurada pelos órgãos classistas das carreiras da segurança pública.

 

"Precisamos ver a eficácia dessa decisão de obrigar o governo a sentar e negociar com as entidades. Como o STF vai dar concretude a isso, de obrigar o Estado a adotar essa postura? Isso precisa ficar bem claro, até para que o governo tenha a consciência de que precisa sentar à mesa e apresentar soluções para nossas demandas", frisou.

 

Já o presidente da Associação de Cabos e Soldados do Espírito Santo (ACS-ES), sargento Renato Martins Conceição, lembrou que a decisão do Supremo não foi unânime - o placar ficou em 7 a 3 para a proibição da greve - e que alguns ministros entendem que essa decisão é errada. 

 

"Percebi, principalmente no voto do ministro Alexandre de Morais (que votou a favor da proibição da greve), um tom muito mais político do que técnico e isso é preocupante. O governo tem que enxergar as corporações policiais com a mesma importância dos demais órgãos. A lei não é suficiente para se evitar uma revolta. O que a impede é um tratamento respeitoso com as instituições policiais", ressaltou.

 

A reportagem também entrou em contato com a Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp) cobrando um posicionamento do Governo do Estado sobre a decisão do STF, mas não houve retorno por parte do órgão até a noite desta quarta-feira.

 


Fonte: Folha Vitória


    NOTÍCIAS

    Policial Federal defende primeira tese de doutorado em área de impressões digitais no Brasil

    Após cinco anos de pesquisa, o papiloscopista Carlos Magno Girelli, da Polícia Federal no Espírito Santo, defendeu sua tese de doutorado que criou uma nova técnica para estudo de impressões digitais no Brasil, favorecendo a elucidação de crimes com armas. A técnica identificou pela primeira vez suspeito de homicídio por impressões digitais em cartucho deflagrado e está abrangendo também o Rio de Janeiro, sendo us...

    Policiais Federais apoiam o Outubro Rosa

    O Sinpef-ES, em parceria com a Associação dos Policiais Federais do Espírito Santo (Apofes) e a Cooperativa de Crédito Mútuo dos Policiais Federais e Servidores da União no Espírito Santo (CredFederal), está apoiando a campanha Outubro Rosa realizada pela Associação Feminina de Educação e Combate ao Câncer (Afecc). No dia 03 de outubro, mais de 80 policiais federais se reuniram na loja e adquiram camisas do...

    Policial do ES cria método que ajuda a esclarecer crimes com armas de fogo

    Mesmo depois de o tiro disparado, cápsula pode ter pistas reveladoras como impressões digitais, mostra policial federal que também é físico.   Um policial federal do Espírito Santo desenvolveu um método que pode ajudar a esclarecer crimes com armas de fogo.   Na hora do tiro, o projétil é disparado pelo cano da pistola. Mas uma parte da munição não vai muito longe. É possível ver c&aci...

    Saúde de operadores da Segurança Pública é tema de debate em reunião interinstitucional

    Com uma rotina estressante, que envolve risco à vida a todo momento, os profissionais da segurança pública sofrem impactos direto na sua saúde física e mental. Para debater sobre o assunto e apresentar ações e projetos que possam melhorar a qualidade de vida desses profissionais, foi realizada a 1ª Reunião de Trabalho Interinstitucional de Atenção à Saúde dos Operadores da Segurança Pública no ...

    MCCE defende escolha de Conselheiro de Contas conforme a Constituição Estadual

    O Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral no Espírito Santo (MCCE) integrado pelo Sindicato dos Policiais Federais do Espírito Santo (Sinpef-ES) e outras entidades signatárias, se posicionaram em nota, contra indicações para o cargo de Conselheiro de Contas do Estado. No entanto, o Movimento é favorável à escolha baseada nos critérios determinados na Constituição Estadual, no § 1°, do ar...

    Novos convênios assinados em assembleia

    Na última sexta-feira, 06 de julho, o Sindicato dos Policiais Federais do Espírito Santo (Sinpef-ES) realizou uma Assembleia Geral Extraordinária na sede do Sindicato, em Vitória. O evento foi realizado para apresentar um resumo de novas ações judiciais, que o Sindicato dará entrada nos próximos meses e beneficiará os sindicalizados.   Na ocasião, também foram apresentados dois novos convênios. O primeiro, ...

    Susp é criado com vetos que desvalorizam operadores de segurança

    Foi sancionada pelo presidente Michel Temer, no dia 11 de junho, a lei que cria o Sistema Único de Segurança Pública (Susp) e a Política Nacional de Segurança Pública e Defesa Social. O Susp será coordenado pelo Ministério Extraordinário da Segurança Pública e tem como principal objetivo a integração dos órgãos de segurança e inteligência, a padronização de informa&...

    Sindicato passa a integrar o Focates

      O Sindicato dos Policiais Federais do Espírito Santo (Sinpef-ES) assinou, na última sexta-feira, 15, sua entrada no Fórum de Carreiras Típicas do Estado do Espírito Santo (Focates). A associação reúne entidades sindicais e associativas das Administrações Públicas Federais, Estaduais e Municipais, representativas de carreiras que desenvolvem atividades essenciais e exclusivas do Estado Brasileiro nos Poderes Exec...

    Sindicato reúne policiais federais aposentados

      Na última quinta-feira, 14 de junho, o Sindicato dos Policiais Federais do Espírito Santo (Sinpef-ES) realizou o Encontro dos Aposentados e Pensionistas. Com a presença de cerca de 40 filiados, o café organizado especialmente para o grupo foi um momento de atualização sobre as demandas da categoria e também de reencontro com os colegas.   Na pauta do bate-papo, foram repassadas informações sobre as negociaç&otil...

    Legislação defasada reflete na desvalorização da carreira de Policial Federal

    O trabalho da Polícia Federal vem há muitos anos conquistando respeito e credibilidade da sociedade e ganhou ainda mais evidência após o início da Operação Lava Jato, em 2014, cujo grande diferencial foi a formação de uma Força Tarefa constituída por diversos integrantes de variados cargos.   Porém, nem todos os profissionais desse órgão têm o correspondente reconhecimento na lei, tampou...

    Clique aqui para exibir mais notícias